17 julho 2011

Contra o antiargentinismo*


Nunca vi um povo comemorar um gol como o argentino. No campo ou na arquibancada, as veias saltam e a cor geralmente desbotada da pele portenha rapidamente se avermelha como um belo Malbec.

Quando a derrota vem, o vulcão de sentimentos permanece o mesmo. O chão some, as mãos trêmulas buscam repouso nas cabeças e não raro as lágrimas escorrem em profusão estarrecedora.

Um gol argentino é como um tango de Gardel. Denso. Forte. Emotivo.

Como país e povo, os argentinos (ao menos comigo) sempre foram gentis e amigos. Isso sem contar a beleza das paisagens, a culinária saborosa...

A Argentina também sempre tratou a bola com raro carinho. De Di Stéfano a Maradona e Messi, vimos brotar naquelas terras gênios capazes de rivalizar com os brasileiros. Isso em um país muito menor e com 1/5 menos de 'pé de obra' disponível.

Fica difícil, portanto, entender o porquê da raiva de alguns brasileiros contra nossos vizinhos. O que se leu nas redes sociais após a derrota para o Uruguai não foi rivalidade, essa sim sempre saudável. Foi algo menor.

Resisto pensar que se trate de dor de cotovelo, mas é difícil pensar em outra coisa. Falar que argentino é convencido e arrogante é muito fácil, mas quantas dessas milhões de pessoas realmente conhecem um portenho pra falar tal coisa (e como se nós fôssemos um país de humildes cordeirinhos).

Talvez, lá no fundo, o brasileiro gostaria de ver seus jogadores comemorando gols menos com coraçõezinhos e imitações tontas de bonecos e mais com seus companheiros e a torcida.

Somos acostumados a cobrar títulos aos montes e ai do time que não corresponder. Será rotulado de perdedor - que o diga o Brasil de Dunga. Quando perdemos, o que vem é a indignação. Como o melhor futebol do mundo ousa perder para um "inferior"?

Enquanto isso, mais ao sul, os argentinos sofrem com uma seca de títulos. Querem apenas ter o prazer de gritar campeão. Quando eles perdem, o que vem é a dor.

Vai ver que dorme escondido um sentimento de que eles jogam para trazer alegria à gente sofrida deles. Os nossos parecem sempre jogar para tentar comprovar sua condição de "superior" e aumentar sua fama.

Torcer contra a Argentina (e contra Uruguai, Itália, França, Holanda, Alemanha, etc) é atentar contra o futebol, violentar a tradição. Não só me nego como adoto o caminho inverso, sempre quero ver os gigantes frente a frente.

Nenhum time é nada se não existirem seus temidos rivais. E a rivalidade genuína nada mais é do que uma mistura de temor e respeito mútuo. Um sentimento paradoxalmente nobre e honrado.

Uma pena que muitas pessoas - alimentadas muitas vezes pela própria mídia e seus animadores de auditório - deturpem esse respeito e o transformem em avacalhação.

Como brasileiro, admiro demais o futebol argentino e vejo como ele completa o nosso e vice-versa. Em minha modesta concepção, isso é muito mais patriota do que sair gritando que sou brasileiro com muito orgulho e muito amor.

Pena que devo ser minoria.

(*guardei esse post de uma versão antiga do blog)

46 comentários:

Vitor Pajaro disse...

Muito bom o texto. Penso igual em muitos aspectos, mas assumo que torci para o Uruguai...

Anônimo disse...

Meu caro, graças a Deus, você É a minoria. Caso contrário, o futebol seria muito sem graça.

Anônimo disse...

Vc é um imbecil. É tb ignorante, pois a rivalidade com eles não é dor de cotovelo. Como estamos falando de futebol, como ter dor de cotovelo de um país que tem 2 títulos mundiais contra 5 nossos. Nas últimas 5 copas, fizemos 3 finais e ganhamos 2. Eles não ganham nada no futebol adulto há 18 anos. Dor de cotovelo? Inveja? Bom, voltando, a rivalidade decorre de um passado de guerra (Cisplatina, atual Uruguai). Brasil e Argentina tinham visões diferentes sobre os assuntos que geraram o conflito armado. Entendeu, imbecil?

Allan Pinto Soares Aju/SE disse...

Obrigado.

Anônimo disse...

noooossa, monstruoso esse seu texto.. fantástico!

Meus parabéns.

Argentino disse...

SENSACIONAL! Sem mais... Salud, desde Porto Alegre, hermano.

SAS disse...

Concordo plenamente com o texto. Muitas vezes sou criticada por admirar o futebol dos argentinos, como se eu tivesse a abrigação de odia-los por ser brasileira.

SAS disse...

Concordo plenamente com o texto. Muitas vezes fui criticada por admirar o futebol argentino. Parece até que tenho a abrigação de odiá-los por ser brasileira.

Daniel Gusman disse...

Sensacional o texto. Penso da mesma forma.
Acho ainda mais estranho que pessoas que tenham simpatia pela Argentina ou por outro país sejam esculachados, como se fronteiras politicamente impostas fossem motivo para limitar o amor a um esporte ou a admiração a um grupo de pessoas.
Belíssimo texto. Parabéns!

Buda Petermann disse...

BRAVO! BRAVISSIMO!

@andersonrreis disse...

Muito bom seu texto e concordo com todos os pontos. Um exemplo da raça dos jogadores argentinos, são jogadores como Tevez e Conca que foram craques eleitos do Campeonato Brasileiro, sem apresentar o futebol arte da gente, mas mostrando muita raça e fibra característica do seu povo e do seu futebol faminto por títulos.

Parabéns pelas suas palavras otimamente colocadas. ;D

Wellington Junior disse...

Texto muito bom! Concordo com muita coisa que vc fala e principalmente quando você diz que o torcedor brasileiro cobra muito e sempre exigi títulos e que nós brasileiros queríamos que os nossos jogadores comemorarem com os companheiros e torcedores e não imitando bonecos bobos.

Abraço.

Anônimo disse...

Concordo plenamente!!! Nunca entendi essa rivalidade. Até pq adoro ver a Argentina jogar. É bem verdade que estão em má fase, assim como nós, porém, muito melhor assistir uma equipe que sabe tocar do que simplesmente ver uma equipe fazer o q o Paraguai e o Uruguai fazem na maioria das vezes: chutão!!!! Sobre a nossa seleção brasileira, nem perco mais meu tempo me decepcionando... essa Copa América foi um fiasco, assim como a nossa educação, nossa saúde, segurança pública e outros tantos problemas a serem solucionados!!! Futebol é só futebol, as prioridades mesmo são outras, ou ao menos, deveriam ser!!! Tenho pena é do MAno Meneses, merecia sorte melhor!!! No final das contas, o Dunga foi massacrado por não ter levado os meninos da vila; o Mano levou e o resultado foi o mesmo, não brilharam como se esperava. Aliás, queria mesmo ter visto a genialidade que vivem creditando ao PH Ganso, não vi nem o cheiro.

raphasteff disse...

bem ruim o seu texto.. brasileiro ve os argentinos como rivais, normal..
do mesmo jeito que palmeiras x corinthians, inter x gremio, cruzeiro x atletico..
nao tem nada dessa coisa de anti-argentinismo..
é normal torcer pra um time menos rival(uruguai) do que um que é mais rival(argentina)
e isso de comemorar com a torcida mostra que voce nao frequenta muito os estadios daqui do brasil.
bem ruim sua analise..

Kalil disse...

Se odeia os argentinos pelo simples fato de eles pagarem pau pra Europa. Não dão valor ao futebol sul americano, se acham os demais e menosprezam os outros. Esse é o problema dos argentinos (e não só deles, mas de todos, exceto nós brasileiros)
Se você não se sente contente com o Brasil, muda pra fora então.

Anônimo disse...

bom post manolo
penso o mesmo

Henrique Badan disse...

Texto ridiculo! Na minha opinião, seu texto é 100% de baboseira! Sem mais!

Érica Marques disse...

Independente da derrota, assistir à luta contra os uruguaios foi sem dúvida o melhor duelo desse campeonato. Fui uma das pessoas que sem hesitar, ao visitar Buenos Aires fui conhecer la Bombonera e encontrei com diversos torcedores que não me destrataram por eu ser brasileira, muito pelo contrário. Quem foi sabe que uma das lojas perto do estádio do Boca tem um camisa do Palmeiras enfeitando a parede, isso é rivalidade? Admiro, e invejo a paixão argentina, quem vê isso de perto jamais pensará em criar uma rivalidade tão cretina quanto essa.
E outra coisa, vamos deixar essas questões de passado de guerra pra justificar a rivalidade pra trás, isso é tão ultrapassado...
Bom post! Pertinente ainda mais depois desse fim de semana!

Alfredo disse...

Excelente este post.
Antes de pisar em solo argentino e conhecer o respeito e hospitalidade daquele povo, confesso que eu também mantinha esse pensamento medíocre da maioria dos brasileiros.
São pessoas educadas e que realmente amam a sua pátria.
Por onde andamos, vemos uma bandeira argentina tremulando.
Acredito que por terem mantido sua raiz européia, esse patriotismo é mais vivo e se estende ao futebol.
A Argentina sempre teve uma safra muito inferior de jogadores, que o Brasil. Tanto em qualidade, como em quantidade. Porém, eles descontam isso na raça.
Como diz na música do Rappa: "Eu quero ver gol. Não precisa ser de placa..."
Jogar bonito não ganha o jogo.
Melhor exemplo que o de ontem (17/07/11)?
Sem contar que lá, outros esportes também são valorizados. No Brasil, só os que dão Ibope e dinheiro, ou que não sofrem algum tipo de preconceito.

Leonardo "PATCH" Garcia disse...

Colega, fiquei muito feliz e satisfeito de saber que não sou o único neste país a me sentir assim como você. Não é só o anti-argentinismo, mas eu tenho este sentimento também no clubismo, pois uma coisa é ser rival (rivais se respeitam e sabem reconhecer a vitória dos outros) outra é ser inimigos. Meu rivais clubisticos tem o meu carinho, meus rivais de seleção também. Peço permissão para reproduzir este texto no Blog das Torcidas (blog-das-torcidas.blogspot.com), onde sou apenas administrador, mas acredito que o texto se encaixa muito bem neste contexto. Mais uma vez parabéns pelo belo texto, queria eu poder ter a satisfação de tê-lo escrito, mas já estou muito feliz de tê-lo lido.

Leonardo "PATCH" Garcia
Adm do Blog das Torcidas (blog-das-torcidas.blogspot.com) e redator do blog Global Esportes (global-esportes.blogspot.com) - que está congelado neste ano.

Dantas disse...

Uma pena que o futebol agora se resume a dinheiro, marketing, ego e moicanos...

Jady disse...

Fantástico o texto. Eu amo o futebol da argentina.E não tenho vergonha nenhuma de dizer que não torço pro Brasil, não sou patriota.
Admiro muito mais a paixão argentina pelo futebol, que é a igual a minha.

Dil Fonseca disse...

Parabéns pelo texto! Esse anti-argentinismo no futebol, alimentado pela mídia, é antes de tudo chato e obtuso.

Anônimo disse...

Texto totalmente tendecioso. Ninguém é vilão e nem mocinho nessa história. MUITO LONGE DISSO! A exaltação a Argentina foi absurda neste texto, os argentinos são tão ignorantes quanto os brasileiros. Você citou as redes sociais brasileiras, mas lhe faço uma pergunta, tu visitaste as redes sociais argentinas? O Brasil tem 5 vezes mais habitantes que a Argentina? Que desculpa esfarrapada para alimentar o seu texto, meu senhor, a China e a Índia tem 6 vezes mais habitantes e nem por isso são melhores, inclusive a China é a maior que o Brasil. Agora virou moda "Não torço para o Brasil, pois esta seleção é do Ricardo Teixeira e da CBF", o que não entendo é que os mesmo vão torcer para Argentina em que o maior ídolo da história do futebol dos hermanos criticou o Grandona e a AFA. Aliás, não tem mal nenhum em torcer para os hermanos, mas vim com essa conversinha? Finalizando, palavras de um amigo argentino meu que morou 4 anos no Rio de Janeiros "Fico triste em saber que tantos amigos de pátria venham ao Brasil desrespeitar as brasileiras e acham que são putas". Talvez, os brasileiros pudessem se espelhar no sentimento político dos argentinos e olhe lá, já que outro dia uma das fundadoras da MADRES DE LA PLAZA DE MAYO estava sendo acusada de corrupção. Enfim, existem vários argentinos boa praça, agora como eu disse no início "Ninguém é vilão e nem mocinho nessa história. MUITO LONGE DISSO!" Abraço;

Anônimo disse...

Pois é, concordo contigo. Acho que o brasileiro é manipulado em vários aspectos e esse anti-argentinismo é muito alimentado pela mídia sim, de forma bem deselegante mesmo, sem fundamento e não se limita ao futebol. É o típico preconceito de quem não conhece e sai repetindo por aí conceitos equivocados. É dor de cotovelo sim, mas não em relação ao futebol, o que é fato é que o povo argentino é muito mais educado, nacionalista, politizado que o brasileiro e isso incomoda sim, pq o brasileiro se lembra do seu país só na hora da seleção. Podiam aprender um pouquinho com um exemplo tão próximo, eles estão na merda economicamente mas são conscientes disso e se interessam pela política, por seus partidos, pela sua política, com a mesma paixão e preocupação que o futubol. E desafio a qquer um que visite o país e diga se não foi bem recebido. Diferente dos brasileiros que não sabem receber nenhum turista. É triste

Roberto disse...

Gostaria de saber porque o rapaz que xinga o blogueiro se esconde atrás no anonimato.

LauroThimóteo disse...

Só tenho um sentimento no momento:Inveja.Inveja de não ter escrito um texto tão fantástico como o seu .Parabéns.Como disse bem, pena que somos a minoria.

Jefferson Castilhos disse...

Cara concordo com você fui viajar para argentina, adorei o pais, não fui mau tratado fui bem atendido por todos, pais agradável, uma diferença e que eles são apaixonados pela seleção deles toda esquina tem uma camisa da seleção as lojas sempre tem uma vitrine enorme com camisas da seleção e tbm a paixão pelo boca e river mas a seleção e mto maior diferente do povo brasileiro que so torce em copa do mundo, o povo brasileiro da mais valor para o time do coração do que para seleção, ai perde fica falando merda e tal, uma coisa a mídia influencia muito por ex a globo o thiago apresentador do globoesporte sp sempre faz vídeos falando mau da argentina tirando sarro e tudo mais, aquele programa central da copa ele coloca uma argentina e fica tirando sarro da cara dela o programa todo, abraços e parabéns pelo texto

Ivonete disse...

Vendo algumas respostas ao seu texto, só mostra como sua opinião é correta. Ridículas essas manifestações contra os argentinos, estive lá nas férias e eles são ótimos, nos tratam bem e admiram nosso futebol. Lembro de uma vez assistir ao jogo Inglaterra e Argentina pela copa de 98 (se não me engano) quando a Argentina venceu nos penaltis, em um grupo de 20 brasileiros, era a única torcendo pela Argentina. Jà torço contra a seleção brasileira faz tempo, ops brasileira não, da seleção da CBF e da Globo, com seu ufanismo "galvaniano" e seus apresentadores babacas metidos a engraçadinhos.

Carol/bsb disse...

Fernando,seu texto exprime um pouco do que eu sinto. Torci pra ver um JOGAÇO no sábado e foi exatamente o que eu vi. Dois times com limitações técnicas mas que se entregaram totalmente e elevaram o nível da partida. Eu torci para os hermanos por que eles me conquistaram já há alguns anos. Isso não tem relação nenhuma com patriotismo. Você não está sozinho!

Daniela Franco disse...

Adorei o seu texto, concordo 100%. Eu como sempre torci pela Argentina, estou sempre torcendo pelos nossos vizinhos. Agora torcerei para o Uruguai.

Igor Rodrigues disse...

Sinceramente, já fui na Argentina e até tive uma namorada de lá (e ainda tenho vários amigos). País belíssimo e um povo excelente.

Mas no futebol quero mais é que se f#$%&. E não estou só. Muitos dos meus amigos ARGENTINOS compartilham do mesmo sentimento em relação ao Brasil. Que o famoso "Olé" não me deixe mentir com suas manchetes sarcásticas ao extremo pra cada fiasco nosso.

Sou anti-Argentina assim como sou anti-qualquer-time-que-não-o-meu. O que não me impede de admirar nenhum deles. Podem ter gênios no elenco, mas quando entram em campo, por mim que percam.

Rivalidade futebolística. Faz parte. :)

gugudada disse...

é tão cega essa rivalidade que o brasil inteiro comemorou uma vitória do uruguay no 61º aniversário do Maracanazo e a três anos de um novo Mundial no país...

gugudada disse...

mas o que as pessoas não sabem são os motivos históricos pra rivalidade. alguns dizem que começou antes mesmo da guerra do paraguay... pra história do confronto no campo de jogo recomendo esse texto http://www.netvasco.com.br​/mauroprais/futbr/braxarg.​html

FABIANO disse...

Voce fala isso com pouco conhecimento de causa. Moro no sul, sou negro, e aqui a maioria, descendente de europeus, adora argentinos em detrimento ao centro do Pais. Tem a ideia de superioridade, e isso, pela sua foto, voce nunca saberá o que é sentir na pele. Infelizmente nosso pais é assim, nos mesmos desvalorizamos coisas boas que temos, e somos muito criticos com os nossos idolos e tudo aquilo que se destaca nessa terra.

Anônimo disse...

Ah, se o Brasil jogasse com a mesma raça dos argentinos. Seríamos imbatíveis...

degodoy disse...

Sensacional o seu texto!!! Também digo o mesmo pelo amor dos argentinos pelo futebol e por sua seleção. Eu, por exemplo, não torço pelos "canarinhos". Aliás, desprezo-os. Não sei se estou certo ou errado, mas esse é o meu sentimento frente à nossa seleção. Queria sentir diferente, mas não consigo torcer junto com pessoas que vibram mais na derrota dos outros do que de fato a favor do seu time...

degodoy disse...

Sensacional! Palavra que descreve o seu texto. Também digo o mesmo pelo amor dos argentinos pelo futebol e por sua seleção. Eu, por exemplo, não torço pelos "canarinhos". Aliás, desprezo-os. Não sei se estou certo ou errado, mas esse é o meu sentimento frente à nossa seleção. Queria sentir diferente, mas não consigo torcer junto com pessoas que vibram mais na derrota dos outros do que de fato a favor do seu time...

Luciano Klein - RJ disse...

Torcer contra um time ou uma seleção é normal por causa da rivalidade que existe. Se tudo ficar na esfera da gozação é até saudável, pois o futebol sempre foi movido por paixão e como tal a razão fica em segundo lugar. O que não deve é passar disso. Particularmente não fico torcendo pela Argentina ou Uruguay, a não ser que esas seleções tenham um futebol encantador. Fiquei dividido entre ela e o Uruguay, pois em ambas existem jogadores que gosto de ver em campo, caso de Messi, Agüero, Forlan, Lugano... Por jogar em casa seria bom a Argentina avançar, mas por outro lado é bom também ver o Uruguay se levantando no futebol. No mais, são dois países que vale a pena visitá-los. Colonia del Sacramento no Uruguay é uma delícia. E o que falar da Argentina? Apenas digo que a melhor carne que comi em toda a minha vida foi lá, em Cabaña las Lilas que fica em Puerto Madero. Fora isso, como eu tentei dizer, se as provocações ficarem na esfera da sadia gozação é aceitável, o que passar disso é dor de cotovelo sim, que nada mais é do que inveja.

Aquele abraço.

Diogo Rocha disse...

Parabéns, excelente texto!

Compartilho com vc a admiração da raça demonstrada dos jogadores e "doença" da torcida argentina! Igual a eles, dificil de achar aqui no Brasil.

Abraços.

Anônimo disse...

Pra que ter rivalidade com os argentinos né?
Será que é por causa da água batizada do Branco?
Será que é pelo o que fizeram na copa de 78 c/ o Peru?
Será que é pelo que faziam com os times brasileiros na libertadores quando jogavam em casa nos anos 60/70/80?
Será que é porque eles chamam todos os brasileiros de "macaquitos"
Pode ser né!!
marcelo cunha - rib preto/sp

Lucas RJ disse...

Meu parabéns. Você escreveu exatamente o que se passa pela minha cabeça. O povo brasileiro deveria ser menos ignorante, alienado e manipulado pela mídia televisiva...

Cristiano Sartori disse...

Mto bom o texto... Não torço para a seleção brasileira desde 1994, a última vez que torci para o Brasil foi nesta Copa, depois nunca mais. Gosto mto da Argentina, mas torço para o Uruguai, que tem a raça argentina, não a técnica, mas a raça. Pena que existam pessoas "anônimas" que não entendem nada de nada, nem são "homens" para colocarem o nome, é uma pena, mas é de se perdoar, pq essas pessoas são brasileiras e não desistem nunca (até para a ignorância). Parabéns pelo texto, mto bom, penso o mesmo... inveja e arrogância. Abraços.

Cristiano Sartori

A outra verdade do esporte disse...

Cara você sim é um jornalista, meus sinceros parabés de uma pessoa que torce pela argentina e somente por ela e que viu escrito neste texto tudo que eu imagino a muitos anos, meus parabéns mesmo JORNALISTA.

Anônimo disse...

sou brasileiro mas toço pela argentina e odeio a seleção brasileira

David Chinellato disse...

Prefiro as comemorações argentinas as dancinhas ridículas brasileiras.